Câmara de Braga estabelece novas regras de gestão e funcionamento para a Central de Camionagem
Quarta-feira , Outubro 21 2020 Periodicidade Diária nº 2611
Principal / Braga / Câmara de Braga estabelece novas regras de gestão e funcionamento para a Central de Camionagem

Câmara de Braga estabelece novas regras de gestão e funcionamento para a Central de Camionagem

O Município de Braga vai abrir um período de consulta pública para o regulamento de utilização e funcionamento da Central de Camionagem como Centro Coordenador de Transportes de Braga (CCTB). A medida será analisada em sede de reunião do Executivo Municipal que se realiza amanhã, 9 de outubro, no gnration.

“Este é um passo determinante para a revitalização deste equipamento e para a prestação de um serviço público adequado à realidade actual dos transportes coletivos de passageiros do concelho de Braga. A criação de condições de operacionalidade, estabelecendo um conjunto de regras que permitam assegurar a gestão e o normal funcionamento do Centro Coordenador de Transportes de Braga, vão garantir um serviço eficaz e de qualidade de transportes urbanos e interurbanos”, refere Ricardo Rio.

“O Município assume assim a plena gestão do edifício e este regulamento é uma mais-valia para todos os operadores, uma vez que vem estabelecer um conjunto de normas essenciais para o bom funcionamento deste equipamento. Além disso, e dada a impossibilidade de se realizar para já uma intervenção de fundo na Central de Camionagem – que implicaria um investimento de cerca de 4 milhões de euros –, vão ser realizadas melhorias que aumentem a qualidade e conforto para operadores e utilizadores”, acrescentou o autarca.

O CCTB concentra os locais terminais ou de paragem de todas as carreiras de transportes rodoviários de passageiros e mercadorias que servem o concelho de Braga, pelo que este regulamento irá assegurar o acesso às instalações, estacionamento, bilheteiras, sistema de atendimento, venda e informação ao público a todos os operadores de serviços.

O regulamento estará em apreciação pública, pelo prazo de 30 dias, após aprovação e publicação em Diário da República.