Segunda-feira, Outubro 3, 2022
15.6 C
Braga
InícioBragaCâmara aprecia moção de apoio à candidatura de Braga a Capital Europeia...

Câmara aprecia moção de apoio à candidatura de Braga a Capital Europeia da Cultura 2027

© CM Braga

O executivo municipal irá apreciar na segunda-feira uma moção de apoio à candidatura de Braga a Capital Europeia da Cultura 2027.

Os membros dos órgãos municipais de Braga expressam, assim, o seu apoio à formalização da candidatura da cidade a Capital Europeia da Cultura 2027 de acordo com os pressupostos princípios presentes no dossier de candidatura; à aprovação do quadro plurianual dos investimentos previstos para o horizonte temporal 2023-2028 e à implementação de cada uma das acções previstas no dossier de candidatura, caso Braga seja designada Capital Europeia da Cultura 2027.

O reforço do investimento financeiro previsto é de cerca de 10 milhões em 2023, 5 milhões em 2024, 4 milhões em 2025, 1 milhão e 200 mil euros em 2026, 5 milhões em 2027 e 425 mil euros em 2028.

“Dada a dimensão desta iniciativa e a capacidade transformadora da mesma, o apoio de todas as forças políticas representadas no Executivo e na Assembleia Municipal é muito importante para que esta candidatura e a sua execução sejam bem-sucedidas. Neste contexto, foram desenvolvidas reuniões de acompanhamento da preparação da candidatura e apresentação da proposta final do dossier de projeto, destacando-se a evolução ocorrida face à fase de pré-selecção, quer em termos de programa artístico, quer no detalhe do modelo de governação proposto e, ainda, no reforço do investimento financeiro do Município”, sustenta a Câmara Municipal.

A Capital Europeia da Cultura é, assim, um dos projetos da União Europeia com maior reconhecimento público por parte dos cidadãos europeus, e uma das iniciativas com maior impato no desenvolvimento cultural e económico dos territórios abrangidos pelas mesmas.

“Trata-se de uma excelente oportunidade para regenerar as cidades, elevar o seu perfil internacional, e melhorar a imagem aos olhos dos seus habitantes. Permite dar um novo fôlego e impulsionar uma transformação cultural do território, das suas comunidades e parceiros, e promover uma rede nacional e internacional de colaborações e sinergias”, finalizou a autarquia.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

ÚLTIMAS

MAIS LIDAS