Domingo, Junho 16, 2024
19 C
Braga
BragaBraga: Tráfico de seres humanos é o tema da XVII edição do...

Braga: Tráfico de seres humanos é o tema da XVII edição do Presépio Vivo de Priscos

© Hugo Delgado – Agência WAPA

O tráfico de seres humanos é o tema da XVII edição do Presépio Vivo de Priscos, em Braga, que abre portas a 10 de dezembro.

Há dezassete anos que a Paróquia de São Tiago de Priscos, da Arquidiocese de Braga, organiza um Presépio ao Vivo, com o principal objetivo de proporcionar aos visitantes um encontro com o mistério do Natal.

No dia 10 de dezembro, às 11:00, será a inauguração com a presença de Nadege Ilick, vítima de tráfico humano. Esta jovem camaronesa, conseguiu fugir para não ser vendida para um casamento forçado. Nadege passou pela Argélia, onde foi enganada com promessas de trabalho e acabou numa casa de alterne. Conseguiu fugir para a Líbia, onde acabaria por ser raptada por guardas prisionais. Na prisão foi espancada e torturada apesar de estar grávida. Com a ajuda do atual marido conseguiu fugir e foi socorrida pelo navio humanitário Sea Watch que atracou, mesmo sem autorização, no porto de Lampedusa, no verão de 2019. A Itália fechou-lhe as portas, mas Portugal recebeu-a de braços abertos. A camaronesa foi acolhida pelo Colégio Luso-Internacional de Braga (sendo acompanhada de perto por Helena Pina Vaz) e por diversos voluntários e instituições bracarenses.

Este ano, na XVII edição do Presépio Vivo de Priscos, a organização quer ajudar figurantes e visitantes a refletir sobre “Tráfico de Seres Humanos”. “É um crime contra a liberdade pessoal e constitui uma das formas mais graves de violação dos direitos humanos. É um fenómeno complexo, na maioria dos casos transnacional, de natureza oculta e em permanente mudança. Envolve o recrutamento e a movimentação de pessoas entre fronteiras internacionais ou dentro de um mesmo país, com o objetivo de as sujeitar a diversos tipos de exploração. O recrutamento e a movimentação das vítimas são realizados com recurso à violência, engano ou abuso de situações de vulnerabilidade. Atualmente tem um impacto económico comparável ao do tráfico de armas e de droga”, refere João Torres, mentor do Presépio Vivo de Priscos..

O tráfico de seres humanos envolve diferentes tipos, cada um com as suas especificidades, com diferenças em termos de perfil de vítimas, organização das redes de tráfico, modus operandi, duração e intensidade da exploração. Esta tipificação é realizada de acordo com o objetivo da exploração à qual a pessoa é sujeita, em que se destacam o tráfico para exploração laboral, tráfico para exploração sexual, mendicidade forçada e tráfico para extração de órgãos.

Segundo o relatório da Global Organized Crime Index, compilado por aquela entidade, “Portugal é sobretudo um país de destino do tráfico de seres humanos, sendo a exploração laboral a forma mais prevalecente deste crime”, mas destaca-se ainda como “ponte” na rota da América Latina para a Europa, com este tipo de criminalidade a revelar-se subnotificada. O documento revela que, predominantemente, as vítimas menores são rapazes da Roménia – maioritariamente explorados para adoção, trabalho, mendicidade ou sexo, enquanto as vítimas adultas provêm sobretudo de países africanos. No entanto, é também realçado o fenómeno do contrabando de migrantes do sul da Ásia (Índia, Nepal ou Bangladesh), da Europa de Leste (Roménia, Moldávia, Bulgária) e da América do Sul.

O Presépio Vivo de Priscos existe desde de 2006, é um espaço de 30.000 m2, com mais de 90 cenários e 600 figurantes. Procura colocar no centro da época natalícia a figura de Jesus como instrumento de promoção humana e social.

É um presépio ao vivo, representativo do presépio tradicional, com ritmos e rotinas do quotidiano hebraico e romano onde haverá representações ao vivo de ofícios antigos e cenas da vida quotidiana retratadas por um número significativo de voluntários, incluindo as crianças, jovens e idosos. “Trata-se de cultivar o sentido da família, o amor e o respeito à vida, o respeito aos anciãos, o sentido da solidariedade e da vida comunitária. O presépio remete-nos aos valores da humildade e da esperança, São Francisco foi o homem do diálogo entre o Oriente e o Ocidente: 800 anos depois do primeiro presépio da história, queremos dizer ao mundo que o diálogo e a amizade entre os povos são a única esperança de paz”, sustenta João Torres.

A grande novidade deste ano é um acampamento militar, como um alerta para “compreendermos que a guerra não pode ser solução para coisa alguma. A guerra é a suprema injustiça para com os justos, para com os inocentes, por maioria de razão, pelo que é a suprema fonte de todos os males”. “Neste cenário fizemos das armas museu e dos combatentes irmãos que comem à mesma mesa. As construções são feitas com paixão e entusiasmo pelos paroquianos da aldeia de Priscos que oferecem o seu tempo, habilidades e competências, Sem o povo de Priscos não havia o Presépio ao Vivo. Eles no meio dos muitos afazeres conseguem colocar o seu talento, a sua energia e conhecimento ao serviço deste sonho, que é contar a verdadeira história do natal”, acrescenta o mentor.

Conta também com a ajuda dos reclusos do Estabelecimento Prisional de Braga. A presença dos reclusos enquadra-se no projeto MAIS NATAL – PRISCOS, vencedor do Orçamento Participativo de 2015, 2016 e 2018 do Município Braga. Este projeto incide sobre “a dignificação e humanização dos reclusos visando a reinserção social, designadamente através do trabalho e da interação com a comunidade de Priscos”. Já existe há oito anos e acolheu mais de 50 reclusos. Desta forma a solidariedade, comum da época natalícia, “multiplica-se durante todo o ano”.

Neste momento, já tem as reservas de grupos de todas as regiões de Portugal e também do exterior, nomeadamente de Espanha (40 grupos). O maior desafio da organização é fazer com que os visitantes “vivam algumas horas de pura emoção nos cantos e recantos do presépio, experienciando um ambiente verdadeiramente de sonho e mostrem aos seus filhos uma fantástica e indelével recordação do Natal”.

Horários e dias de abertura do Presépio Vivo de Priscos

DEZEMBRO de 2023

  • 10 DEZ – 11:00 às 18:00
  • 17 DEZ – 15:00 às 18:00
  • 23 DEZ – 15:00 às 17:30
  • 25 DEZ – 16:00 às 18:30
  • 30 DEZ – 15:00 às 17:30 

JANEIRO de 2024

  • 01 JAN – 16:00 às 18:30
  • 06 JAN – 20:00 às 22:30
  • 07 JAN – 15:00 às 18:00
  • 13 JAN – 20:00 às 22:30
  • 14 JAN – 15:00 às 18:00

Preçário

  • Todas as entradas serão solidárias.
  • Crianças até 16 anos – Gratuito
  • Adultos – 5 estrelas

Qualquer tipo de pagamento será realizado no dia e na hora da visita.

Grupos organizados com pré-marcação 

As pré-marcações de visita só se fazem para grupos superiores a 10 elementos que pretendam visitar o Presépio Vivo de Priscos. Devem ser feitas por e-mail ([email protected]) ou contacto telefónico (918 800 360) em dias úteis das 09:30 às 19:30 e aos sábados das 10:00 às 14:00. Após a receção deste pedido, será contactado para confirmação da marcação da visita. Qualquer tipo de pagamento será realizado no dia e na hora da visita.

PARTILHE A NOTÍCIA

LEIA TAMBÉM

PUBLICIDADE

NEWSLETTER

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

REPORTAGEM

POPULARES