Segunda-feira, Outubro 3, 2022
21.7 C
Braga
InícioBragaBraga recebe Festival Noroeste com música do Norte de Portugal e da...

Braga recebe Festival Noroeste com música do Norte de Portugal e da Galiza

© Origem Tradicional

O Festival de Música Noroeste vai animar a cidade de Braga nos dias 25, 26 e 27 de agosto com um conjunto de concertos que cruzam o local e o global, o tradicional e o contemporâneo e as influências da região milenar do Noroeste Peninsular com a música de fusão, o jazz e a world music.

Promovido através de uma parceria entre o Município de Braga e Arca de Sons Associação Cultural, o Festival oferece seis concertos, dois por dia, com início marcado para as 21:30 e para as 22:30, no palco da Avenida Central.

O Noroeste nasceu no âmbito da programação do Braga 2021 – Capital da Cultura do Eixo Atlântico. Depois de uma primeira edição, que decorreu no Altice Forum Braga devido à pandemia, o Festival irá agora regressar à ideia original de Festival de Rua.

Na programação deste importante festival procura-se afirmar algumas premissas, na continuidade do projeto iniciado no ano de 2021, aquando da continuação da Braga Capital da Cultura do Eixo Atlântico: a afirmação de Braga como um centro importante de criação e celebração da cultura do Noroeste Peninsular (Norte de Portugal / Galiza); pesos semelhantes nas propostas artísticas dos dois lados da fronteira da euro-região do Eixo Atlântico e promover a criação artística local e regional, com parcerias internacionais relevantes do ponto de vista cultural.

No primeiro dia, sobem ao palco o grupo “Origem Tradicional” e Canto D’Aqui. No segundo dia, é a vez de “Duo Caamaño e Ameixeiras” e de “Maria Quê”.

A encerrar o festival estará “Antía Muiño” e Manuel de Oliveira – ENTRE-LUGAR, com a participação especial de Ton Risco (Vibrafone).

Programa:

  • 25 de agosto (quinta-feira): 21:30 – Origem Tradicional – é dos grupos mais antigos da cena tradicional, folk e popular portuguesa. Tem percorrido Portugal, entre teatros, festivais e romarias, e, internacionalmente, atuado em certames culturais folk e junto das comunidades emigrantes lusas, onde transmitem nos seus concertos a alegria do povo e do seu património secular; 22:30 – Canto D’Aqui – fundado em 1984, o Grupo Canto D’Aqui tem desenvolvido um trabalho de relevo na pesquisa e divulgação da música tradicional e popular portuguesa, com o objetivo de manter viva a nossa cultura musical. Atualmente é composto por dez elementos, que interpretam temas de todas as regiões de Portugal, executando instrumentos como, bandolins, cavaquinhos, violas braguesas, concertina, violão baixo, entre outros de cariz tradicional, que acompanham um conjunto de vozes de grande qualidade melódica.
  • 26 de agosto (sexta-feira): 21:30 – Duo Caamaño e Ameixeiras – um dueto revelação na Galiza, que tem corrido toda a Espanha e Europa com as suas músicas de Raiz interpretadas com um virtuosismo e contemporaneidade fora do comum; 22:30 – Maria Quê – acalanto é o nome do novo espetáculo musical de Maria Quê, que une culturas e tradições de diversas partes do mundo. A sonoridade de “Maria Quê” é influenciada pelas várias vivências dos músicos envolvidos – desde a world music, ao jazz, à música eletrónica -, dando particular foco a cânticos tradicionais de embalar de diferentes áreas geográficas e culturas e cruzando a tradição com a contemporaneidade. “Embalo das Marés” é o nome do primeiro registo discográfico, lançado em março de 2020.
  • 27 de agosto (sábado): 21:30 – Antía Muiño é cantora, guitarrista e compositora. Trabalhando o legado da música acústica, muitos têm vindo a apelidar de “nova musa da música galega” destaca-se pela sua voz única e pelas emocionantes apresentações ao vivo. A canção de autor, a música tradicional galega e a canção jazz juntam-se neste projeto, combinando diferentes sonoridades numa formação de guitarra, voz, sopros, teclado e percussão; 22:30 – Manuel de Oliveira – ENTRE-LUGAR, com a participação especial de Ton Risco (Vibrafone) – Manuel de Oliveira apresenta-se com uma formação especial em quinteto, com João Frade no acordeão, Sandra Martins no violoncelo, Quiné Teles na bateria e percussão e Carl Mineman no Baixo e Contrabaixo, para tocar “Entre-Lugar” e revisitar ainda alguns dos temas de “Ibéria” e “Amarte”. Este concerto tem ainda a participação especial do conceituado Vibrafonista galego Ton Risco.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

ÚLTIMAS

MAIS LIDAS