Quarta-feira, Dezembro 7, 2022
15.6 C
Braga
InícioBragaBraga é a cidade anfitriã do 13.º Encontro Nacional das Unidades de...

Braga é a cidade anfitriã do 13.º Encontro Nacional das Unidades de Saúde Familiar

© CM Braga

Braga é a cidade anfitriã do 13.º Encontro Nacional das Unidades de Saúde Familiar (USF), que decorre entre hoje e amanhã, no Altice Forum Braga. Sob o lema “Uma Equipa de Saúde Familiar para Todos”, o encontro, promovido pela Associação Nacional das Unidades de Saúde Familiar (USF-AN), potencia a partilha de problemas, soluções e boas práticas, de forma a garantir a qualidade do serviço nos cuidados de saúde primários.

Na sessão de abertura, a vice-presidente da Câmara Municipal de Braga, destacou a importância deste encontro num momento de reflexão das estruturas e dos seus profissionais tão importantes nos cuidados de saúde primários. Aproveitando a presença do ministro da Saúde, Manuel Pizarro, Sameiro Araújo lembrou o processo de descentralização de competências nesta área, destacando que “há muito que a Saúde extravasou as paredes das Unidades de Saúde e assume cada vez mais um caráter multidimensional com uma pluralidade crescente de entidades e intervenientes”.

Nesse sentido, continuou a responsável, o Município de Braga vê na descentralização de competências “uma oportunidade única” na evolução do paradigma da saúde nacional. “Que este processo não recaia apenas dimensões administrativas e económico-financeiras e que se aproveite esta oportunidade para que os municípios possam ser verdadeiramente parceiros na promoção da saúde e combate à doença”, sustentou Sameiro Araújo.

Neste encontro nacional, que pretende ser um momento de reflexão sobre o passado e de discussão do caminho a seguir para o futuro, Sameiro Araújo lembrou o trabalho realizado no combate à pandemia e agradeceu a todos os profissionais de saúde que ao longo dos últimos dois anos e meio estiveram na linha da frente.

“Foram muitos momentos difíceis, entretanto ultrapassados, que vieram criar novos desafios e viver uma nova realidade, mas que nos obrigam, enquanto poder político, a avaliar este percurso e a tomar as devidas ilações. Contudo, nem tudo foi mau em todo este processo. A pandemia veio ajudar a criar e a reforçar laços entre o Estado central e as autarquias e entre as autarquias e a sociedade civil, cujo o resultado foi mais que evidente. Esta é uma articulação deve ser continuada em prol das pessoas, nomeadamente na sua saúde e bem-estar”, concluiu Sameiro Araújo.

O 13º Encontro Nacional das USF decorre até amanhã, com um programa que se divide em sessões mais específicas e intimistas e sessões plenárias com temas mais abrangentes e organizacionais, sempre com espaço para a discussão e intervenção de todos. O encontro pretende ser um ponto e um palco comum de discussão de muitos dos problemas das USF, envolvendo para isso todos os atores e estruturas, para que em conjunto possam encontrar soluções comuns que beneficiem todas as equipas e seus profissionais, em prol da melhoria dos cuidados prestados aos utentes, bem como da melhoria da satisfação e bem-estar dos profissionais.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

ÚLTIMAS

MAIS LIDAS