Bloco de Esquerda questiona Governo sobre atrasos no envio de vales de subsídio de desemprego
Quinta-feira , Setembro 24 2020 Periodicidade Diária nº 2584
Principal / País / Bloco de Esquerda questiona Governo sobre atrasos no envio de vales de subsídio de desemprego

Bloco de Esquerda questiona Governo sobre atrasos no envio de vales de subsídio de desemprego

O Grupo Parlamentar do Bloco de Esquerda questionou o Governo sobre os atrasos, por parte dos CTT, na entrega de vales do correio para pagamento do subsídio de desemprego. Em causa está um vale emitido pela Segurança Social no dia 28 de abril, que ainda não foi entregue ao beneficiário.

No documento entregue na Assembleia da República, os deputados do Bloco de Esquerda eleitos pelo circulo de Braga, José Maria Cardoso e Alexandra Vieira, referem que “os pagamentos que normalmente eram realizados através de cheque-carta, em junho de 2019, passaram a ser pagos por vale postal, a ser levantado numa estação dos CTT, uma vez que a Caixa Geral de Depósitos recusou dar continuidade ao contrato existente”.

Os deputados bloquistas referem que é o próprio Instituto de Gestão Financeira da Segurança Social que no Plano Estratégico reconhece que “o fecho de estações de CTT resulta em dificuldades crescentes na operação de emissão e pagamento de vales-postais”.

Por isso, o Bloco quer que o Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, esclareça quais os motivos para o término do contrato dos cheque-carta com a Caixa Geral de Depósitos e quer saber que medidas estão a ser tomadas para assegurar o pagamento atempado das prestações sociais.

“O Bloco de Esquerda entende que o Governo deverá assegurar as melhores condições para a expedição e pagamento das prestações pagas através de cheque/vale, intercedendo junto da Caixa Geral de Depósitos para a retoma do contrato de carta-cheque e obrigando os CTT a cumprir com os prazos de entrega dos vales postais”, referem os deputados no documento.

Em tempos de crise, o apoio dos nossos leitores é fundamental para garantir que a Braga TV continue a ser um canal de informação de referência na região. Apoie aqui.