Alunos de Braga ajudam a plantar 110 mil árvores para celebrar o Dia da Floresta Autóctone
Sexta-feira , Setembro 25 2020 Periodicidade Diária nº 2585
Principal / Notícias / Alunos de Braga ajudam a plantar 110 mil árvores para celebrar o Dia da Floresta Autóctone

Alunos de Braga ajudam a plantar 110 mil árvores para celebrar o Dia da Floresta Autóctone

O Movimento Terra de Esperança, promovido pela Fundação Galp, em parceria com a ANEFA, vai assinalar, durante a próxima semana, o Dia da Floresta Autóctone com um conjunto de iniciativas de florestação que incluirá a plantação de cerca de 110 mil árvores em 14 Municípios de Norte a Sul de Portugal.

As ações, que já estão em curso, prolongam-se até 23 de novembro, e vão envolver a colaboração de mais de 4.500 alunos de escolas e associações dos Municípios de Braga, Cascais, Torres Vedras, Mangualde, Monção, Manteigas, Celorico da Beira, Castelo de Vide, Évora, Mértola, Alcobaça, Lagos, Sardoal e Fornos de Algodres.

Em Braga, a iniciativa contará com o maior contigente de voluntários: serão mais de 1.300 alunos de cerca de três dezenas de escolas de Braga, Escudeiros, Celeirós, Vimieiro, Palmeira, Fradelos, Priscos, Aveleda, Guisande, Fradelos e Tadim, a que se juntarão ainda a Associação de Pais e Amigos da Freguesia de Cunha.

O Dia da Floresta Autóctone, que se comemora a 23 de novembro, foi criado com o objetivo de promover a divulgação da importância da conservação das florestas naturais, contribuindo para a preservação e para a expansão das nossas espécies indígenas, fomentando assim a biodiversidade da floresta portuguesa.

Este objetivo cruza-se de forma natural e intrínseca com a missão do Movimento Terra de Esperança. Com a plantação destas 110 mil árvores, o projeto ficará próximo de atingir um volume de 300 mil árvores plantadas desde finais de 2017.

Recorde-se que o Movimento foi lançado pela Fundação Galp, em parceria com a ANEFA, depois de a Galp anunciar a oferta de 500 mil árvores para plantar em todo o território português, de forma a ajudar na recuperação e reflorestação das áreas ardidas nos fatídicos incêndios do verão de 2017. No total, estas árvores representarão uma área equivalente a cerca de 600 campos de futebol.

O Movimento Terra de Esperança prevê que a última destas 500 mil árvores seja plantada em abril de 2020, dando, assim, cumprimento a um plano de reflorestação que envolverá, nos próximos meses, parcerias com 18 Municípios e com o ICNF – Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas.