Quarta-feira, Setembro 22, 2021
21 C
Braga
InícioAtualidadeAluna da Universidade do Minho premiada por estudar tratamento promissor para cancro...

Aluna da Universidade do Minho premiada por estudar tratamento promissor para cancro do rim e da mama

Olívia Pontes

Olívia Pontes, aluna do doutoramento em Ciências da Saúde na Universidade do Minho, venceu o 1º Prémio do “V Research Pitches Contest”, um concurso de apresentações científicas em vídeo, organizado pelo Grupo Compostela de Universidades. O prémio foi entregue pelo presidente da entidade, Marek Kręglewski, durante a assembleia-geral realizada em Santiago de Compostela, Espanha.

No seu doutoramento, Olívia Pontes estuda um novo tratamento para o cancro do rim mais comum (o carcinoma de células renais) e para o subtipo mais grave do cancro da mama (triplo negativo). Para tal, utiliza compostos derivados de cromenos, que são moléculas abundantes em plantas ou frutas, por exemplo, tendo perfil anti-inflamatório e antimicrobiano. Olívia Pontes demonstrou agora que aqueles compostos “têm propriedades anticancerígenas potentes e seletivas”, inibindo diversas características ligadas à agressividade e progressão tumoral, como a migração e a invasão celular.

O novo tratamento conseguiu bloquear o crescimento tumoral em testes com modelos animais e perturbar a formação de novos vasos sanguíneos ligados ao tumor. “Estes compostos de nova síntese podem contribuir para tratar e superar a resistência em tipos agressivos de cancro”, afirma Olívia Pontes. Nos testes verificou-se que os cromenos só atacaram células cancerígenas, não se detetou reações adversas e o tumor reduziu o seu tamanho e volume. Abre-se, assim, uma esperança para cancros como o triplo negativo, ainda sem terapêutica eficaz, pois a quimioterapia, além de agressiva e com elevada toxicidade, não confere melhorias significativas no prognóstico.

O trabalho de Olívia Pontes na Universidade do Minho envolve o Instituto de Investigação em Ciências da Vida e Saúde (ICVS) da Escola de Medicina e o Centro de Química da Escola de Ciências, sendo orientado pela investigadora Marta Costa e pelas professoras Fátima Baltazar e Fernanda Proença. Nascida há 28 anos em Morais (Macedo de Cavaleiros), Olívia Pontes é licenciada em Genética e Biotecnologia pela UTAD e mestre em Bioquímica Aplicada pela Universidade do Minho. Venceu ainda prémios da Sociedade Internacional do Metabolismo do Cancro e da Associação Europeia de Investigação em Cancro, uma bolsa da Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento e tem uma patente.

Na apresentação agora premiada, o júri do prémio elogiou a problemática da investigação, a fundamentação da sua pertinência, a descrição da metodologia proposta e o discurso convincente. O Grupo Compostela de Universidades nasceu em 1994 com o objetivo de promover a cooperação interuniversitária, contando atualmente com cerca de 60 instituições de ensino superior de todo o mundo. A Universidade do Minho, uma das universidades fundadoras do Grupo, acolheu a assembleia-geral anual em 2011 e 2020.

Apoie a Braga TV

A Braga TV precisa do seu contributo, caro leitor.

Contribua com o seu donativo para que possamos continuar a dar informação aos nossos leitores.

Apoie aqui.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

ÚLTIMAS

MAIS LIDAS